publicado por nanotech | Sexta-feira, 22 Janeiro , 2010, 01:27

Algodão e tecidos de poliéster comuns foram transformados em pilhas conservando a sua flexibilidade.

 

Nanotube fabric (Nano Letters)

O resultado desta investigação dá mais um contributo para o campo emergente de "electrónica para vestir" ("wearable-electronics"), nos quais os dispositivos são integrados em vestuário e têxteis.

A abordagem é baseada na imersão de tecidos numa "tinta" de nanotubos de carbono, e foi demonstrada pela primeira vez no ano passado em papel de fotocópia simples.

A nova aplicação de tecidos é descrita na revista Nano Letters.

 

"Wearable-electronics" representa uma classe em desenvolvimento de novos materiais que permitem agora muitas aplicações e projectos que anteriormente eram impossíveis com as tecnologias tradicionais da electrónica", escreveram os autores.

 

 

Uma série de esforços na investigação nos últimos anos têm mostrado a possibilidade destes novos sistemas electrónicos incorporados em textêis poderem ser construídos em materiais flexíveis e até mesmo superfícies transparentes - que conduzirá aos monitores flexíveis para enrolar ("roll-up display").

Paper battery

 

 

 

 

Bateria  de papel

 

 

 

 

fonte: http://news.bbc.co.uk


publicado por nanotech | Segunda-feira, 11 Janeiro , 2010, 14:58

A General Motors (GM) deu hoje mais um passo para o lançamento do automóvel eléctrico Volt, ao anunciar a produção da primeira bateria avançada de iões de lítio numa fábrica norte-americana.


Bateria avançada de iões de lítio
Bateria avançada de iões de lítio

O Chevrolet Volt, que funciona exclusivamente através de energia eléctrica, deverá começar a ser produzido em finais de 2010 e a GM acredita que a sua tecnologia lhe vai valer a liderança mundial no sector.

O presidente da construtora automóvel, Ed Whitacre, afirmou, em comunicado, que “este é um marco importante para a General Motors e um passo crítico na hora de levar o Chevrolet Volt para o mercado”.

A bateria foi produzida na fábrica de montagem de baterias de Brownstown, em que a GM já investiu 43 milhões de dólares (cerca de 30 milhões de euros) para converter aquela unidade na primeira infra-estrutura norte-americana especializada na produção de baterias avançadas para veículos.

As primeiras baterias produzidas em Brownstown vão ser enviadas para o laboratório de Sistemas Globais de Baterias da GM em Warren, onde serão submetidas a testes para validar a equipa e os processos de produção.

Na Primavera, as baterias serão enviadas para a unidade produtiva de Detroit-Hamtramck, onde será fabricado o Volt, um automóvel eléctrico que poderá percorrer 64 quilómetros utilizando apenas a carga das suas baterias.

O automóvel vai contar também com um pequeno motor de combustão para gerar electricidade e evitar a descarga das baterias, podendo ser recarregado através de uma tomada eléctrica doméstica.

 

fonte: Lusa


mais sobre mim
Julho 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO