publicado por nanotech | Domingo, 16 Maio , 2010, 18:13

Jornadas Ciência e Medicina - Nanotecnologia
Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho, sábado, 22-05-2010

 
O Departamento Cientifico do Núcleo de Estudantes de Medicina da Universidade do Minho (NEMUM) organiza as primeiras Jornadas Ciência e Medicina numa área promissora e em franca expansão, a Nanotecnologia

  Jornadas Ciência e Medicina - Nanotecnologia
 

A Nanotecnologia é uma área promissora da ciência que tem conhecido recentemente um avanço extraordinário. O NEMUM pretende com esta iniciativa trazer novos conhecimentos aos nossos alunos e fomentar a interacção com alunos de outros cursos da Universidade do Minho com interesse neste tema, alunos de outras universidades Portuguesas, bem como investigadores nesta área ou áreas afins.

São nossos parceiros, nesta actividade, a Reitoria da Universidade do Minho, a Escola Ciências da Saúde e o seu Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde.

 

Palestra de Abertura 9:15 - 10:00h
 
Nanotecnologia
-
José Rivas, Presidente do INL -  
International Iberian Nanotechnology Laboratory
 

Drug Delivery 10:00 - 12:30h


Nanopartículas como agentes de Libertação Controlada e Intracelular de Fármacos: Possíveis Aplicações no Sistema Nervoso Central

          A
ntónio Salgado Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde, Universidade do Minho


Estudo do potencial de liposomas à base de monooleína na libertação intracelular de material genético: da caracterização à aplicação
       João Neves - Departamento de Fisica, Universidade do Minho

O tratamento para a tuberculose disseminada pode ser melhorado com uso de 
rifabutina encapsulada em lipossomas: um estudo no modelo infecção murino.
  • Andrea Cruz  - Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde, Universidade do Minho


Laboratório num chip 14:00-15:30h 

Micro e nanotecnologia para dispositivos lab-on-a-chip: biodiagnósticos e cell-chips.
  • João Pedro Conde - Departamento de Engenharia Química e Biológica, IST, Lisboa;  INESC Microssistemas e Nanotecnologias, Lisboa 

    Lab-on-a-chip
    para análise de fluidos biológicos
  • Graça Minas - Departamento de Electrónica Industrial, Universidade do Minho

     
    Medicina Regenerativa 15:30-17:00h
Nanobiomateriais em Medicina Regenerativa

João F. Mano - 3 B's Research Group - Biomaterials, Biodegradables and Biomimetics; Departamento de Engenharia de Polímeros, Universidade do Minho

 

Aplicação de nanopartículas como agentes de libertação controlada para estratégias de regeneração de osso e cartilagem

Vítor Espírito Santo- 3 B's Research Group - Biomaterials, Biodegradables and Biomimetics; Departamento de Engenharia de Polímeros, Universidade do Minho

Palestra de Encerramento 17:00 - 18h00

“Nanotecnologia e Nanomedicina: investimentos em  I&D  na Europa e o impacto social e económico das suas aplicações”
-
  Vasco Teixeira, Pró-Reitor Universidade do Minho
 

 
Porto de Honra - encerramento

 
mais informações: http://jornadasnanotecnologia.weebly.com/apresentaccedilatildeo.html

contactos
NEMUM
Escola de Ciências da Saúde,
Universidade do Minho - Campus de Gualtar,
4710-057 Braga
253604849       
E-mail: nemum@ecsaude.uminho.pt
Organização:
Andreia Silva: a47435@alunos.uminho.pt
Célia Soares: a47479@alunos.uminho.pt

publicado por nanotech | Sábado, 06 Fevereiro , 2010, 14:02

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) beneficia de 17 milhões de euros de fundos comunitários para a aquisição e instalação de equipamento científico. A comparticipação para um investimento global de 24,3 milhões de euros foi ontem, dia 3 fevereiro, acordada, na sede do INL, com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, entidade gestora do Programa Operacional da Região Norte (ON.2).

Carlos Laje, presidente da CCDRN, considerou o projecto do INL ‘o mais decisivo de todos os investimentos do ON.2’, enquanto o ministro Mariano Gago destacou ‘o impacto regional e europeu deste financiamento’.
José Rivas, director-geral do INL, apontou o contrato de financiamento para a aquisição de equipamento científico como ‘um marco notável’ para o ‘desenvolvimento da actividade científica da organização com sede em Braga, criada em 2005 por iniciativa conjunta dos governos de Portugal e Espanha.
O financiamento do ON.2 permite o equipamento da chamada ‘sala limpa’ do INL, uma área de 400 m2 onde os cientistas poderão fabricar micro e nano dispositivos e estruturas.

A ‘sala limpa’ será também dotada de equipamento científico destinado ao processamento de biochips e biosensores, um sector que, de acordo com os responsáveis do INL, será de grande impacto científico a nível internacional e, à escala da Península Ibérica, especialmente relevante para o desenvolvimento de dispositivos biomédicos.

O concurso para os equipamentos das sete alas da ‘sala limpa’ está na sua recta final, prevendo-se que os mesmos sejam instalados em Setembro ou Outubro. Ainda durante o corrente mês é lançado um segundo concurso internacional para o equipamento dos laboratórios centrais de microscopia electrónica, caracterização de superfícies, bioquímica, micro-fluídos e encapsulamento.

‘Coração’ do INL com características únicas

 

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, afirmou ontem que o INL ‘tem características únicas do ponto de vista das capacidades técnicas e científicas, para fazer a dife- rença relativamente aos outros laboratórios ibéricos e europeus’.
Mariano Gago apontou o facto de a ‘sala limpa’ poder funcionar para vários fins e as suas características de precisão que fazem deste espaço uma das mais valias essenciais do INL.
 

‘Esta sala limpa será um ponto único na Península Ibérica e, para muitas aplicações, à escala internacional’, adiantou o governante.

Contratação de investigadores à espera dos governos

O director adjunto do INL manifestou ontem alguma preocupação pelo atraso na aprovação pelos governos de Portugal e Espanha dos regulamentos de contratação de investigadores.
A direcção do INL começou em Maio as entrevistas a investigadores, mas continua limitada a celebrar contratos, porque os dois governos ainda não assinaram os regulamentos que estabelecerão as condições de contratação por parte da organiza- ção de investigação de estatuto jurídico internacional com sede em Portugal.
‘Temos pessoal para arrancar, mas temos que começar a contratar gente para encher os gabinetes, pessoas que vêm para ficar cá dez anos ou mais”, afirmou Paulo Freitas, à margem da cerimónia de assinatura dos contratos para aquisição do equipamento de base do INL.

Já em Dezembro último, o director adjunto do INL alertou para a necessidade da aprovação da regulamentação necessária à contratação do grosso dos investigadores do INL.
Com a conclusão das obras do Laboratório Ibérico Internacional e a chegada em breve dos equipamentos, Paulo Freitas reconhece que a falta de decisão dos governos pode vir a complicar o arranque em pleno da actividade do INL.
No dia 17, o INL e a Universidade do Minho assinam um protocolo de colaboração que formaliza a permissão de professores e alunos trabalharem no Laboratório. Idêntico acordo será celebrado com outras universidades.

 

fonte: Correio do Minho

 

 


mais sobre mim
Julho 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO